Ex-acompanhante anã Lia Regina, lança e-book com experiências

Para ajudar outras mulheres e homens que sofrem com o preconceito de serem anões, Lia Regina, mais conhecida na classe como Dafne Anãzinha, escreveu sua autobiografia num e-book de 123 páginas.

Lia Regina, mais conhecida como Dafne Anãzinha, revela que tinha artista da Globo e jogador de futebol, numa lista de mais de 600 clientes

Na presentação do livro, Lia escreve: “Este livro conta minha história e relata minhas experiências. Não só como garota de programa, mas também minha vida antes de me tornar uma. Nesse sentido, pessoas que levaram fora, que foram humilhadas ou até mesmo que foram deixadas de lado, vão se identificar muito com a obra. Além disso, também conto um pouco da minha infância e o bullying sofrido em razão da minha condição – a de ser portadora de Nanismo -, tanto no colégio como na minha própria família.”

Pretendo publicar mais um livro, sobre bonecas sexuais humanas, adianta a jovem, que está há quatro anos fora dos serviços de acompanhantes. Atualmente, Lia é formada em Direito, e está cursando uma segunda graduação, no curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Na autobiografia lançada este mês, disponível para venda na Amazon, Lia Regina, decidiu listar seus clientes, entre eles atores famosos da Globo e jogadores de times de futebol da primeira divisão,  “A maioria me procurava para realizar seus fetiches”, conta no seu e-book.

O nanismo, alvo de fetiche de muitas pessoas, foi determinante para ter uma lista de clientes muito variada e com personagens de todas as classes sociais.

“Os homens pagavam para realizar seu fetiche. Acredito que garotas de programa são as únicas a terem acesso a homens intocáveis”

“Atores e jogadores de futebol que me contratavam eram extremamente lindos, pessoas que estão na mídia diariamente. Pessoas que eu nunca poderia imaginar estar na cama. Todos eram muito atenciosos. Até calcinha eu ganhei de um”, relembra.

“A relação era unicamente profissional, não tínhamos contato diário. Eu realizava as fantasias deles e pronto”

Questionada sobre como lembra dos atendimentos, Lia explica que mantinha um caderno de anotações sobre cada homem e mulher que serviu.

Ex-acompanhante anã Lia Regina, lança e-book com experiências
Ex-acompanhante anã Lia Regina, lança e-book com experiências

“Eu tinha uma agenda, anotava todos com quem eu saía. Nos serviços de sexo também, anotava o nome, a data e se eu tinha gozado. Caso o cliente me ligasse de novo, eu sabia exatamente a data que eu o atendi. Isso ajudava a me lembrar deles, pois eram muitos e eles gostavam de se sentirem únicos. Caso eu não tivesse gozado, não voltava a atender aquele cliente.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.