USP procura bissexuais, gays cisgêneros e trans para testes de vacina contra HIV

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) está buscando voluntários no Brasil para testar uma vacina contra o HIV. O estudo, chamado Mosaico, iniciado há cinco anos, está sendo desenvolvido em cooperação por instituições de diversos países. A pesquisa já foi aprovada pela fase pré-clínica, animal, e fases 1 e 2 em humanos.

Até o momento, as pessoas que receberam a vacina conseguiram produzir satisfatoriamente anticorpos e imunidade contra a infecção.

No Brasil, os voluntários para a terceira fase devem ser homens gays ou bissexuais cisgêneros e homens ou mulheres transexuais com idades entre 18 e 60 anos.

Interessados podem entrar em contato com o Programa de Educação Comunitária da USP pelo Instagram ou pelo e-mail agendamento.estudos@gmail.com.

A tecnologia empregada na nova vacina é a de vetor, a mesma empregada na vacina de Oxford para prevenção da Covid-19. Nesta vacina  são injetadas informações genéticas de proteínas do HIV dentro de um outro vírus, inofensivo a seres humanos.

Com a nova vacina, a importância da prevenção, teste e tratamento do HIV, ganha ainda mais significado.

Quando o indivíduo é vacinado, o vírus inserido no organismo se multiplica, fazendo com que o corpo receba as proteínas que foram injetadas em seu material genético. Assim, o vacinado produz resposta imune contra proteínas do vírus inofensivo e também contra as do HIV.

USP busca voluntários para testar vacina contra HIV
USP busca voluntários para testar vacina contra HIV

Agora faz um ano da campanha publicitária lançada pelo Ministério da Saúde alusiva ao Dia Mundial de Luta Contra a aids, que tinha como foco a importância do diagnóstico do HIV “HIV/aids. Se a dúvida acaba, a vida continua”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.